Notícias | Esportes
27/10/2017 - 17:06:00
Conheça a trajetória da varginhense Amanda Ribas, uma das musas do UFC
Superesportes
Foto: Jorge Ribeiro
Nascida em Varginha, lutadora supera lesões e doping e mira novos desafios (Foto: Jorge Ribeiro)
Aos 23 anos, Amanda Ribas teve estreia adiada no UFC por causa de doping, mas mira novos desafios
 
Amanda Limborço Alcântara Ribas. Nome imponente, do Sul de Minas. Das terras fortes do café. Em Varginha nasceu a lutadora de 23 anos, com passagem por Belo Horizonte. Morando na Florida, treina na mais respeitada academia de MMA do planeta, a American Top Team. Está ao lado de campeãs do UFC, como a imbatível Joanna Jedrzejczyk – campeã de sua categoria, o peso palha feminino – e a brasileira Amanda Leoa Nunes, campeã do peso galo. Após ser pega no doping em um exame surpresa realizado em 7 de junho, a lutadora se prepara para novos desafios.
 
 
Amanda começou no jiu jitsu pelas mãos do pai, mestre respeitado no esporte, e líder da Ribas Family, equipe que revela atletas nas artes marciais para os maiores eventos de lutas do Brasil e da Europa. “Ia com ele para a academia desde pequenina, fui pegando gosto, fazia parte de minha rotina. Quando vi, já estava competindo, e ganhando tudo”, diz com o sorriso meigo característico no rosto. “É que eu só treinava com meninos, e quando chegava nas competições, parecia tudo muito fácil. Até que um dia me botaram para competir com os meninos. E continuei ganhando!”,  conta em meio a uma gargalhada gostosa.
 
 
A menininha que ganhava todas as medalhas em competições de lutas foi ficando mocinha e veio a dúvida: “luta é coisa só para homem?”. No embalo das amiguinhas da época, foi fazer jazz. Dançou por dois anos, brilhou nas apresentações e nos palcos, emocionou papai, mamãe, titios e avós. Mas a mocinha queria mais. E já via o irmão mais velho viajando e competindo sozinho. “Não aguentei. Cheguei para o meu pai e falei de uma vez: quero lutar”.
 
 
Marcelo Ribas, reconhecido descobridor de talentos, sabia que a filha podia ir longe. E de cara botou a menina de volta ao tatame. Jiu jitsu e judô. E aí veio a explosão. Amanda se destacou muito e foi integrar a equipe do Minas Tênis Clube. Medalha, medalha, medalha... Não tinha mais onde guardar. Ganhou estaduais, nacionais, classificou-se para as seletivas olímpicas e circuitos europeus. E viu o mundo desabar.
 
O drama veio em forma de lesão. A carreira meteórica foi interrompida por duas lesões gravíssimas nos joelhos. A alegria do pódio foi trocada pela incerteza da sala de cirurgia. Tristeza. Sofrimento. Pesadelo. A conquista do mundo inteiro se resumia agora a um leito em sua terra natal, a Varginha, aquela do café, a dos meninos que apanhavam dela quando pequenos, e que agora adolescentes, torciam muito para a amiga que estava começando a ficar famosa.
 
 
E ela não decepcionou. Superou tudo. Voltou aos treinos e encarou um desafio maior. “Pai, quero lutar MMA”, profetizou. Ribas, o pai, num misto de susto e orgulho, topou na hora. E a garotinha atropelou. Foi a Vegas e venceu o campeonato mundial de MMA amador. Deixou os gringos enlouquecidos!
 
Um dos mais respeitados sites de luta do mundo, divulgou recentemente uma lista das 15 esperanças brasileiras no MMA, nesta fase pós Anderson Silva, Minotauro e Vitor Belfort. Quatro são mulheres. Jéssica Bate Estaca, Viviane Sucuri, Ketlen Vieira e Amanda Ribas. 
 
Faixa preta de jiu jitsu e de judô, colecionou vitórias nos maiores eventos brasileiros. E veio o convite para treinar na respeitada American Top Team, onde está desde o ano passado. Este ano foi contratada pelo UFC e está prestes a estrear.  Enquanto se prepara, de passagem pelo Brasil para o UFC SP, posou para as lentes do fotógrafo Jorge Ribeiro para este ensaio sensual.
 
 
“Lutadora não tem que parecer homem. Lutadora mulher não deixa de ser feminina pelo esporte que pratica. Sou extremamente vaidosa, cuido da minha pele e de meus cabelos constantemente. E sou muito tímida. Demais! Este ensaio foi mais difícil de encarar que a luta mais dura que já tive. Mas ficou lindo. Acho muito importante que os fãs e as meninas que estão começando nas artes marciais agora, vejam que não precisamos perder nossa delicadeza e feminilidade.”

Siga o Varginha Online no Facebook, Twitter e no RSS.

Comente a Notícia!

Últimas Notícias
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)