Coluna | Periscópio
Wender Reis
Pedagogo e Orientador Social, curioso observador de tudo que causa espanto no mundo.
Lacrar o ego: gritar mais alto ou bater mais forte
02/09/2017
As redes sociais comportam um elemento extremamente pernicioso para se travar discussões ideológicas, que é o ego. Isso se reflete principalmente na ânsia de lacrar em cima dos outros, que supera em muito, muito mesmo, a capacidade de elogiar os acertos.

É comum a pessoa concordar com 99% daquilo que leu, mas concentrar todas as suas energias naqueles 1% para lacrar e sambar na cara do interlocutor, isso enquanto likes e mais likes pipocam na aba de notificações para sua satisfação sádica. 

É uma coisa mesquinha, irritante e sei lá mais o que.

Além do óbvio desaparecimento da dialética, que na filosofia é o processo de diálogo, debate entre gente comprometida com a busca da verdade através da contraposição de ideais que possam levar a outras ideias, ainda vemos que a generosidade interpretativa cede lugar a um forçado sentido denotativo na leitura das palavras daquela ao qual se quer confrontar. 

Isso cansa.

Nenhuma rede será construída entre nós enquanto não aprendermos a nos respeitar. Estou pensando em nós mesmos, eu e vocês, eu e você, raro leitor. Nenhuma pessoa, por mais forte que seja, resiste a afrontas diárias como as que envolvem falta de consideração pessoal, mínima caridade interpretativa e nenhuma disposição para o falibilismo. Todas adoecem. É humano. Nossos corpos não são blindados.

Infelizmente, muitos vivem do ataque permanente, da ironia grosseira e das ofensas porque precisam chamar atenção pra si. Nenhum tipo de relação construtiva, o tipo que precisamos, será produzida a partir dessas atitudes. Por isso, dá até para traçar uma lei da relação inversamente proporcional entre agressividade e capacidade de construir algo. Pessoas agressivas, mordazes e sarcásticas não por acaso transpiram melancolia, nojo e raiva todo tempo: elas veem o mundo como uma projeção do que elas são. Mas há sempre muitos mundos.

A agressividade é humana, mas para criar um ambiente saudável onde seja possível florescer relações é preciso moderá-la. Sem isso, nada será construído: seremos sugados por quem grita mais alto ou bate mais forte. O que sempre foi a regra de tudo.

 

Comente!

 
Últimos artigos deste colunista
02/11/2017 | Sociedade sem luto
« ver todos
 
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Colunistas

Página Principal | Notícias | Entretenimento | Guia Comercial | Guia de Bares e Restaurantes | Guia de Hospedagem
SIGA O VARGINHA ONLINE Curta a Página do VOL no Facebook Siga o VOL no Twitter Fale conosco
Quem Somos | Entre em Contato | Cadastre sua Empresa | Cadastre seu Evento | Central do Usuário | Anuncie no Varginha Online

Todos os direitos reservados 2000 - 2014 - Varginha Online - IPHosting- Hospedagem de Sites (Parceiro Varginha Online)